Diferença entre Véu, Grinalda e Mantilha


Olá, Noivinhas. Já postei vários vestidos, e agora precisamos ver os acessórios da Noiva!!!
Neste post vamos ver a origem e diferença entre Véu, Grinalda e Mantilha, para depois seguirmos com outras opções.

E depois, no próximo post veremos vários looks para que vocês possa se inspirar e copiar à vontade, viu?

Vamos lá!!!
O Véu


A origem do uso do véu está na antiguidade quando era usado como parte do vestuário feminino, principalmente pelas mulheres da nobreza, pois sua pele devia ser clara. As camponesas tinham a pele escura curtida pelo sol. A função do véu era proteger os cabelos e a pele do rosto e pescoço contra danos causados pelo sol e pelo vento.  O uso do véu da noiva era um costume da antiga Grécia e que foi criado para proteger a noiva de mau olhado e também de outros possíveis admiradores. Na Idade Média, o uso do véu entre as mulheres dos povos Anglo-saxões se dava apenas entre as mulheres casadas.

O véu tem seu significado religioso no Cristianismo, pois ele aparece em todas as representações de Maria, Mãe de Jesus. O uso do véu na igreja era comum antes da década de 1960. O véu da noiva também está ligado à mitologia, pois Ishtar, a antiga Deusa do Amor, surgiu das profundezas e os vapores da terra e do mar cobriram-na "como um véu ". O véu é uma peça misteriosa, pois ao mesmo tempo que esconde, destaca a beleza da donzela. Hijab (véu), quer dizer, em árabe, "o que separa duas coisas'". O véu da noiva significa separar-se da vida de solteira, para entrar em uma nova vida; a de esposa. O véu dá a noiva uma aura angelical, quase divina, por isso é considerado símbolo da pureza e foi incorporado ao traje da noiva, devendo então ser sempre no tom branco. Historicamente, as noivas usavam o véu caindo sobre as costas no dia do matrimônio como prova de virgindade e da cor branca para ressaltar a pureza. Pelo fato de apenas as mulheres virgens poderem usar o véu, essa idéia permanece até os dias de hoje e faz parte dos costumes, portanto a noiva que casa-se pela segunda vez não deve usar véu na cerimônia de casamento. Os primeiros véus feitos de tule de seda datam do século dezenove. O véu é um acessório que oferece charme e requinte para a noiva, assim como o vestido longo, da-lhe a impressão de estar se trajando como uma princesa o véu vai alem tornando-a uma rainha! O que não deixa de ser verdade, já que a noiva é a pessoa mais importante no dia do casamento, vindo após ela, apenas o noivo. O véu deveria ser transparente, normalmente usado por noivas no dia de seu casamento. Antigamente achava-se que o véu concedia alguma defesa mágica devido à sua natureza santificada. Segundo os judeus o motivo pelo qual o rosto da noiva é coberto antes e durante a chupá é que este é um momento tão especial que atrai a Presença Divina e Ele fica literalmente pairando sobre o semblante da noiva. Este é o motivo pelo qual muitas pessoas pedem para a noiva pensar neles durante a chupá, pálio nupcial, pedindo por sua saúde ou para terem filhos, etc. Mas os judeus dizem que não se deve  olhar para Deus diretamente tal qual Moshê Rabênu (Moisés) falou com Ele na sarça, no deserto. Assim sendo, as pessoas mais religiosas realmente colocam um véu mais opaco ou cobrem totalmente o rosto da noiva. Outras pessoas colocam um véu apenas simbolicamente. Ao conhecer o verdadeiro motivo de cobrir a noiva, certamente não será tão difícil usar um véu um pouco mais espesso.

Escolhendo o Véu de Noiva Ideal

O Tecido

O véu da noiva geralmente é confeccionado em tule ou renda. O tule é um tecido mais leve e sua transparência é ideal para não esconder o traje da noiva e sua leveza permitir a visualizar a delicadeza do vestido.  A renda é mais pesada, mas apresenta um ar mais nobre, podendo ter apliques como strass, cristal ou miçangas, que proporcionam brilhos e harmonia a renda.

O Comprimento

O véu quanto ao seu comprimento deve levar em consideração o modelo do vestido, formato de rosto da noiva, altura, horário do casamento e até mesmo o tamanho da igreja, pois um véu muito comprido fica em desarmonia com uma igreja pequena. Ate mesmo a formalidade influencia no comprimento do véu, pois quanto mais formal for o casamento, maior o comprimento do véu. 

 Curtos

 Longos
Véus curtos permitem a noiva um visual mais leve, menos seriedade e muito charme. São indicados casamentos informais ou semi formais, casamentos durante o dia. Combina com cerimônias ao ar livre como em jardins, campo ou chácaras.
Na altura dos ombros – Pode ser usado com quase todos os tipos de vestidos. Seu volume pode ter apenas uma camada de tule ou mais volumoso com duas ou três camadas.
Cotovelo – Seu tamanho coincide com a cintura. Pode ser usado com qualquer tipo de vestido, mas há quem diga que não combina com vestido de cauda.
Ponta do dedo – O véu é um pouco mais longo que a ponta do dedo da noiva. Pode ser usado com todos os tipos de vestidos, exceto com os vestidos acima do tornozelo. Também pode ser considerado como véu médio: que vai até a cintura e pode ou não ser usado com vestido de cauda.
Véus longos ou muito longos são extremamente sofisticados, ficando permitidos apenas para cerimônias noturnas, formais ou ultra formais. O longo pede um vestido e um estilo mais formal. Normalmente é usado após às 20 horas e em ambientes fechados. Pode ter de 2,50 até 5m, maior que isto é desnecessário além de incomodar a noiva, já que provoca um esforço ao ser arrastado.
Véu catedral – É o véu que se arrasta pelo chão. Também são véus formais e clássicos, usados com vestidos de calda longa. O comprimento deste tipo de véu geralmente ultrapassa o comprimento da calda do vestido em no mínimo 12cm. Jamais deve ser usado em casamento casual, como em jardim ou  praia.
Dica: Se optar por um véu de catedral, use várias camadas, para durante a recepção retirar a camada mais comprida e ficar mais à vontade.

Formato do rosto

Face oval - este tipo de face é o tipo mais simétrico, e pode usar o que melhor lhe agradar, desde que combine com o vestido.
Face muito redonda - combina com um véu que caia ao longo dos lados da face, pois ajuda a afiná-la.
Face quadrada - necessita ser suavizada com um véu mais longo, em vez de curto.
Face oval mais comprida - pode ser complementada com véus em cascata, adornados com tiaras, ou com uma coroa de flores, ou de cristais.
Face triangular (tipo coração) -  precisa aumentar a parte inferior da face usando véus que pendam da parte anterior da cabeça, pois o volume aparecerá pela parte de trás da cabeça enfatizando o queixo.
Descobrindo seu tipo de face:
Existem dois tipos de faces, as  arredondadas (ovais e redondas); e as mais angulares ( faces em retângulo ou em triângulo). Para saber qual seu tipo de face: na frente do espelho com o cabelo preso,  com um lápis dos olhos desenhe o contorno da sua face no espelho, depois é só analisar. 

Tipo físico

- Noivas magras e altas podem usar véu preso abaixo do coque;
- Noivas com silhuetas equilibradas podem usar véu em qualquer comprimento;
- Não se usa véu em segundo casamento, assim como noivas grávidas não devem usar véu. Porém mesmo estando nessas situações a noiva é quem decide o que vai ou não usar no dia de seu casamento. 

Cores e enfeites

A cor do véu deve combinar com o vestido. Se o vestido for branco não use um véu marfim, pois mesmo que a diferença pareça pequena, o contraste sempre aparece.
Quanto mais bordado ou cheio de detalhes for o vestido, mais simples e discreto deverá ser o véu. E se o véu tiver enfeites no véu devem combinar com os detalhes do vestido, por exemplo vestido decorado com pérolas, o véu  não pode ter strass e sim pérolas.
Se o vestido for muito ornamentado, use um véu simples. A ornamentação do véu não deve nunca terminar no local onde o seu vestido tem mais ornamentação, deve terminar abaixo da ornamentação do vestido, ou acima desta.
Os enfeites podem ser detalhes de bordados no véu ou com algum acabamento nas bordas: filetes especiais (cetim, sutache dourado, prata), bordado com pérolas ou miçangas. O enfeite do véu pode acompanhar o desenho do vestido fica perfeito.  O acabamento nas bordas pode ser um discreto bordado ou uma camada de aplicação mais larga.

O Penteado

Como o véu esta em destaque o penteado deve ser escolhido como um suporte para o véu. Ainda assim alguns cabeleireiros conseguem fazer lindos penteados para combinar com o véu, assim o penteado dever decidido assim que o véu for escolhido. Para isso leve consigo o véu para que seu cabeleireiro encontre a melhor combinação pois mudar o local onde o véu é aplicado na cabeça pode fazer muita diferença. Os véus presos abaixo do penteado ficam lindos. Ainda mais quando o penteado merece destaque. Véu e cabelo solto deve-se ter cuidado, o véu deve ser o mais simples possível. Muita gente defende que noivas devem usar cabelos presos, mas cabelo preso não é regra, pois os cabelos soltos ficam bem com véus mais leves, que podem ser retirados após a cerimônia.
Véu preso abaixo do penteado com coroa também fica muito bonito.
Se o véu for pesado, ou comprido, ande um pouco com ele para ver se acostuma e se sente confortável.

Véu da mãe

Usar um véu antigo, que pertenceu à mãe, é uma opção interessante, mas cuidado com em tentar mudar a cor original, mandando branqueá-lo ou tingi-lo; isso poderá estragá-lo. Neste caso o véu não precisara ter exatamente a mesma cor do vestido. Todos perceberão seu modelo e cor peculiar.
Véus destacáveis são ideais para serem retirados após a cerimônia do casamento e a noiva ficar mais a vontade na recepção.

Véu e espelho

Não se esqueça de se ver num espelho de 360º; coloque o vestido e o véu e observe como fica de todos os ângulos, e não só pela frente.

Cuidados com o véu

Para guardar o véu, deixe-o em bolsa, caixa ou saco fechado, mantendo-o em lugar fresco longe do sol longe de umidade. Observar se não há traças ou goteiras no local. Cuidado para que nenhum descuidado ponha peso em cima! Portanto o local mais indicado para guardá-lo ainda é no alto do armário!
Mantenha-o fechado, evite ficar mostrando aos curiosos e só retire quando for mesmo necessário.

Tendência Atual para os Véus

Uma tendência observada na escolha de véus atualmente são os véus mais leves, independente do comprimento. O véu é acessório fundamental para construir um belo visual de noiva. Os longos, sempre clássicos e chiques, ganham versões minimalistas, confeccionados em uma única camada e permitindo bordados e apliques em harmonia com o vestido. São indicados para cerimônias em igrejas grandes, após às 18h, e não devem ultrapassar os quatro metros de comprimento. Já os casamentos realizados pela manhã e à tarde, ou em capelas pequenas, pedem véu mais curto, com o máximo de dois metros e meio de comprimento. Para usar véu o  cabelo deve estar preso. É muito mais elegante e adequado à composição.

A Mantilha


A mantilha tem a mesma função do véu: emoldurar o rosto da noiva a identificando como uma donzela, além de atribuir um ar misterioso e glamouroso ao seu visual. Pode ou não cobrir o rosto da noiva e seu comprimento pode ser curto ou mais longo. A mantilha é parecida com o véu, se diferenciando pelos bordados. O véu, tem tule liso e quando tem detalhes são somente em suas extremidades enquanto a Mantilha é toda bordada, com desenhos que formam bicos nas extremidades, do tule ou da renda. O modo de fixação da mantilha ao penteado também é diferente do véu e, normalmente, são feitas de maneira artesanal. Além disso, a mantilha é um acessório pesado por isso fica mais próxima do rosto e ao corpo, já o véu, por ser leve, fica mais solto e esvoaçante.

Mantilha x Véu 
A mantilha é parecida com o véu, se diferenciando pelos bordados. O véu, tem tule liso e quando tem detalhes são somente em suas extremidades enquanto a Mantilha é toda bordada, com desenhos que formam bicos nas extremidades, do tule ou da renda. O modo de fixação da mantilha ao penteado também é diferente do véu e, normalmente, são feitas de maneira artesanal. Além disso, a mantilha é um acessório pesado por isso fica mais próxima do rosto e ao corpo, já o véu, por ser leve, fica mais solto e esvoaçante.

Etiqueta

As mantilhas são clássicas e elegantes, combinando com qualquer tipo de celebração de casamento. Elas cobrem todo o rosto ou parcialmente mas, a partir do momento em que a noiva chegar ao altar, é preciso levantá-la e somente quando o casal deixar a igreja é que ela deverá ser baixada novamente.

Combinar com o vestido

A mantilha deve sempre seguir o estilo do vestido, seja ela de renda, de tule, com muitos ou poucos bordados, aplicações. Caso a mantilha escolhida seja de renda, deve-se escolher uma renda igual a que foi usada no vestido. Esse acessório também pode formar um conjunto harmonioso com o vestido da noiva, basta tomar cuidado na escolha. Se o vestido tem muitos detalhes, bordados e brilhos a mantilha deve ser mais discreta, o contrário também se aplica, vestidos mais simples podem ser combinados com Mantilhas mais elaboradas. Se for bordada, deve acompanhar o mesmo estilo do bordado do vestido. O ideal é que se a noiva fizer questão de usar uma Mantilha, deve primeiro escolhê-la e depois ao vestido. Este deverá ser o mais simples possível,  já que a suntuosidade será dada pela Mantilha.

A Grinalda


A grinalda irá destacar o rosto da noiva, iluminá-lo e diferenciar a imagem da mulher do seu dia-a-dia. Sua função no traje da noiva é tão importante que merece muita atenção na hora de sua escolha. A grinalda faz com que a noiva se pareça com uma rainha, diferenciando-a dos convidados. Quanto maior a grinalda, maior é o símbolo de status e riqueza. Por não ser uma peça comum às mulheres é necessário a orientação de um profissional como costureira, estilista ou cabeleireira para ver qual o melhor modelo a ser usado, combinando com o comprimento do véu, formato do rosto da noiva, altura do pescoço, o penteado, as jóias, com o vestido e o horário do casamento. Com ajuda destes profissionais experientes a tomada de decisão sobre o melhor tipo de arranjo a ser usado, será mais fácil e a certeza do modelo mais adequado tranquilizará tremendamente a noiva.

Escolha da sua grinalda

Formatos Possíveis

A grinalda pode ter o formato de coroa (circular colocada no alto da cabeça - como uma coroa mesmo), ou de tiara (como um diadema acompanhando o movimento da cabeça, emoldurando o rosto) ou ainda como um arco. Independente do estilo ou modelo, a grinalda deverá vir acompanhada do brinco que com ela combine e até mesmo uma gargantilha se não ficar muito carregado o conjunto.
A grinalda pode ser usada sozinha ou combinada ao véu de tule de nylon que é o mais usado, e com a mantilha (peça artesanal caracterizada por desenhos formando bicos nas bordas). Quando usada só na montagem do penteado, este adereço forma um conjunto mais simples porem não menos harmonioso juntamente ao vestido.
Evite exageros, peças inadequadas e desconfortáveis. Além de orientação profissional, é necessário experimentar vários modelos até encontrar o tipo que combine com todos os elementos já citados, com seu gosto pessoal e conforto, pois esse enfeite marcará o dia mais importante de sua vida!
 
Horário do Casamento

Casamentos de manhã até o final da tarde: As grinaldas devem mais leves, sem ou com pouco brilho. Podem ser usadas flores artificiais, pérolas, lalic etc.

Se o
casamento durante o dia e for ao ar livre, em ambiente aberto, como jardim ou chácara, prefira grinaldas leves, quase sem brilho, como a com perolas ou flores naturais, pois quanto mais simples e menos brilho, mais adequada fica a peça.

após as 18:30 horas ou à noite pode-se utilizar do brilho e do glamour, equilibrando sempre com o estilo da cerimônia: luxuosa, formal e informal. A noiva pode usar e abusar da sofisticação e do brilho, procurando combinar com o vestido.

Rosto da Noiva

Rosto alongado - Evite coroas em geral: prefira grinaldas na testa em forma de “V” com cabelos presos e véu com volume lateral.

Rosto quadrado
- Prefira os arranjos no alto da cabeça. No caso de coroas, escolha as de altura média, acompanhada de véu longo, jogado para trás. Em caso de testa estreita use grinaldas finas, de flores naturais ou tecido se a testa for estreita. Para testa maiores as grinaldas grossas em cabelos semi-presos são as mais adequadas.
Rosto redondo
- Este formato de rosto deve ser valorizado com coroas altas, tipo rainha ou arranjo de flores ou pedrarias no alto da cabeça. Tanto as coroas como arranjos com véu em cascata para trás da cabeça afinam o rosto. Os cabelos devem ser presos.
Rosto triangular
- Use a grinalda no meio da cabeça, com o véu longo, caindo nas laterais da cabeça para dar volume ao conjunto. Se preferir as coroas, escolha as mais baixas e delicadas de pedrarias.

Estilo e Cor

O estilo do vestido da noiva também influencia na escolha da grinalda. Além do estilo, a cor do vestido também conta: Vestido branco - grinalda branca, prata ou dourada. Vestido marfim - grinalda pérola ou dourada.

Tendência Atual

A tendência para o momento são as tiaras prateadas, enriquecidas por cristais Swarovski ou laliques foscos ou brilhantes, de desenho mais delicado. Há, também, as opções em flores naturais, que devem ser usadas em casamentos celebrados à luz do dia ou ao ar livre. E vale um toque de alerta: o modelo “coroa de princesa” caiu no desuso, pois é antiquado e muito pesado visualmente.
Vamos partir para o que nos interessa: os modelos... 

0 Comentário(s)
Comentário(s)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

• Os coments são moderados para eu responder todos.
• Comente sobre a postagem.
• Sua opinião, sugestão, dica e alerta são bem-vindos!