O que toda Noiva deve saber antes de casar





- Depois do casamento o casal fica mais unido.


- A sua família ficará mais carinhosa com você.

- Sua família e a dele vão tentar se meter de todas as formas. Você precisará ser firme pra não deixar isso acontecer.

- Cuidar da casa dá uma trabalho danado e lavar louça destroi as unhas.

- Você vai fazer comentários sobre preço de sabão em pó, amaciante etc, e vai achar normal e até interessante.

- As pessoas vão te respeitar muito mais.

- Você vai amadurecer muito! E sem perceber.

- Você não terá mais que dar satisfações de tudo que faz para seus pais (isso é tudo de bom).

- Você vai ficar toda boba ao dizer "meu marido" pra todo mundo.

- Que você vai ser mais feliz do que na casa dos seus pais.

- Que o seu marido vai te irritar e você vai relevar porque brigar é muito chato.

- Na sua TPM seu marido vai querer se matar, ou ainda, TE MATAR!

- Sua casa vai viver cheia de amigos e isso é uma delícia.

- Você será chamada de "senhora" por algumas pessoas.

- Seu marido não vai cansar de te chamar de "minha esposa" e "minha mulher".

- Que o casal nem sempre consegue fazer as pazes antes de dormir.

- Que é uma delícia ficar em casa sem fazer nada.

- Que a frequência sexual vai cair um pouco e você vai trocar quantidade por qualidade. Mas cada vez mais vocês vão saber mais como agradar UM AO OUTRO.

- Que fazer compras no supermercado vai deixar de ser um saco e se tornar legal a beça. Principalmente a dois!

- Que ter uma casa só sua é uma delícia!

- Que casar é MARAVILHOSO!!!

Achei lindo e, por isso, quis compartilhar com vocês, Noivinhas e Casadinhas... Beijos!

Outras coisas mais...


1. Vai haver dias em que acordam e pensam: vai ser assim para sempre? Apenas eu e tu? Quando casaram pensaram certamente: “desde que estejamos juntos, nada mais importa, vai ser fabuloso”. Só que vai haver muitos dias em que pensam que ele/ela é realmente fantástico, mas que não vos faz feliz a toda a hora, todos os dias; ou que isto é mais complicado do que alguma vez imaginava e porque é que me casei tão cedo? Não foi para isto que disse “sim quero”! Aí é que estão enganados: disseram “sim” para todos os dias – bons, maus e horríveis – e apenas não se aperceberam disso quando namoravam e no final da noite cada um ia para a sua casa ou na noite do casamento onde a festa, as fotografias e a decoração eram tudo o que vocês mais sonharam. O casamento não é um destino, é um ponto de partida, uma viagem que é testada diariamente com pequenos e grandes obstáculos, que é preenchida por partes iguais de entusiasmo e tédio, com gargalhadas e lágrimas, com intimidade e costas voltadas. A frustração, solidão e tristeza que possam sentir em relação ao seu marido ou mulher nada tem a ver com ele/ela, mas sim com o facto de se terem apercebido que o casamento não é um conto de fadas, mas sim uma história nua e crua que, embora difícil, tem mais encanto e recompensas do que qualquer fantasia.



2. Vão trabalhar mais do que alguma vez imaginaram. Trabalhar num casamento não se resume apenas a tratarem das vossas finanças e da decoração da casa em conjunto, de ser paciente quando ele deixa a roupa suja empilhada no chão do quarto ou quando ela decide encaixotar os seus velhos jogos de computador e arrumá-los na garagem. É muito mais do que isso. Se pensavam que se conheciam melhor do que ninguém, enganaram-se: o casamento “desenterra” muitas características sobre um homem e uma mulher, até agora desconhecidas. Para além disso, não nos podemos esquecer que acabaram de iniciar uma nova viagem a dois onde vão crescer, evoluir e aprender muitas coisas novas. É aí que está o verdadeiro “trabalho” – compreenderem e apoiarem-se mutuamente, sempre com muito carinho. Este é seu novo estilo de vida e deve ser adotado para sempre.



3.    Conseguirem o que querem é muito menos importante do que encontrarem formas de trabalhar em conjunto. É natural que cada um de nós tente que prevaleça sempre as nossas vontades, opiniões e decisões, só que agora tudo isso terá um impacto direto noutra pessoa, aquela com quem decidimos partilhar a nossa vida. Num casamento, ambos podem ter razão, o que não significa que um está certo e o outro errado – simplesmente quer dizer que um tem esta opinião e o outro tem aquela. O desafio está no compreender que é muito mais importante descobrirem como vão ultrapassar uma situação onde divergem, do que tentarem conseguir, a todo o custo, o que querem individualmente. Ao trabalharem arduamente neste aspecto do vosso casamento, vão aprender e solidificar dois valores imprescindíveis na vida de um casal: a paciência e a cedência.



4.  Um bom casamento não significa a ausência de discussões, mas antes uma relação onde ambos tentam sempre fazer com que as coisas funcionem. Não existem casamentos sem discussões e mesmo se existissem não seriam, certamente, muito saudáveis. Tão importante como conseguir alcançar um estado de harmonia e equilíbrio é, de vez em quando, terem uma boa discussão. Mais do que elevar vozes, uma discussão calorosa permite desenterrar assuntos que estão a ser evadidos ou escondidos, coisas que marido e mulher vão “engolindo” mas que, mais tarde ou mais cedo, precisam de ser expressados. As discussões são uma óptima maneira de perceber, com maior clareza, não só a vossa relação, mas o papel de cada um no próprio casamento, ajudando-vos a fortalecer tudo isso.



5. Se quiser mudar alguém durante o casamento, terá de ser você. Todos nós pensamos que facilmente conseguimos mudar alguém, torná-lo mais bonito, mais magro, mais bem vestido, mais doméstico, mais próximo da perfeição. Pensar: “depois de casarmos ele vai passar a cozinhar” ou “depois do casamento ela vai deixar de ser tão ciumenta”, é um dos erros mais comuns de quem se vai casar. Através de carinhos ou incentivos, chantagens ou insinuações, assumimos esta enorme tarefa de tentar transformar o nosso parceiro, no marido ou na mulher perfeita. E para quê? Nada. Chegamos ao final exaustos, frustrados e com vontade de partir tudo – é impossível mudar, de um momento para outro, alguém que já tem a sua própria personalidade, crenças e hábitos (sejam eles bons ou maus) enraizados há décadas. É muito mais fácil e menos stressante mudar a maneira como cada um de vós encara e lida com essas atitudes.

0 Comentário(s)
Comentário(s)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

• Os coments são moderados para eu responder todos.
• Comente sobre a postagem.
• Sua opinião, sugestão, dica e alerta são bem-vindos!