Cuidados para uma gravidez saudável


Oi, Meninas... Mais uma sessão para as mamães e futuras (igual a mim). Achei este texto muito interessante e resolvi compartilhar com vocês.
Sei que o texto é grande, mas traz informações muito úteis para quem quer engravidar ou já está grávida.

"Quantos quilos a mulher deve ganhar durante a gravidez? Que alimentação seria a ideal? Que cuidados com o seu corpo seriam fundamentais?

Antes de qualquer coisa, toda mulher que deseja engravidar e está com excesso de gordura corporal deve ser encorajada a emagrecer segundo uma dieta saudável e consciente. As mulheres que fumam, ingerem bebidas alcoólicas em excesso ou usam qualquer outro tipo de droga devem parar. Na verdade, o ideal seria que os pais (mãe e pai) decidissem interromper tais hábitos nocivos no momento de planejar a concepção da criança, pois seus efeitos maléficos podem afetar a qualidade genética de óvulos e espermatozóides.

Mas, qual o peso ideal da mamãe ao final da gestação? Essa é uma questão que todas as gestantes têm curiosidade em saber. Na primeira metade do século 20, devido aos problemas de pressão arterial gerados pelo excesso de peso materno, as recomendações eram de não ganhar mais de 9 kg. Porém, ao se constatar bebês nascendo com baixo peso e suas conseqüentes complicações, a previsão de ganho de peso na gravidez foi liberada. Em 1990, o U.S. Institute of Medicine (IOM) publicou importante trabalho que recomendava o ganho de peso de acordo com o Índice de Massa Corporal (IMC) materno na pré-gestação.

Calcule o seu IMC = Peso (kg) : (Altura x Altura)
Exemplo: Peso 60 kg – Altura 1,67 cm à IMC = 60 : 1,67 x 1,67 = 21,51

IMC antes do início da gravidez

Ganho de peso recomendado

IMC menor que 20 (baixo peso)

12,5 até 18 kg

IMC entre 20 e 26 (normal)

11,5 até 16 kg

IMC entre 26 e 30 (acima do peso)

7 a 11,5 kg

IMC maior que 30 (obesa)

Pelo menos 6 kg

Importante: Trata-se apenas de uma referência básica. Deve-se ressaltar que existem vários outros fatores que podem influir no peso da criança ao nascer, como o fumo, o uso de drogas e um acompanhamento pré-natal inadequado.

Os efeitos do álcool e cigarro na gravidez

Cigarro e álcool têm que passar a léguas de distância de uma mulher grávida. Ambas são substâncias altamente tóxicas e fazem mal à mãe e ao bebê.

O álcool pode provocar a síndrome alcoólica fetal que, além de resultar na má formação de alguns órgãos vitais pode provocar lesões irreversíveis no sistema nervoso do feto.

Quanto ao cigarro, os filhos de mulheres fumantes nascem abaixo do peso, com menor estatura e tendem a apresentar problemas respiratórios futuros. É válido ressaltar que as crianças cujas mães fumaram durante a gravidez podem até recuperar o peso, mas a estatura costuma permanecer abaixo do normal.

A alimentação consciente da gestante

Durante a gravidez, as necessidades energéticas e corporais de alimentação diferem daquelas de uma não-gestante. Ao engravidar, o organismo começa um ajuste para providenciar meio-ambiente adequado para dar suporte à vida, ao crescimento do feto e para a amamentação depois do nascimento da criança.

As necessidades energéticas e nutricionais devem ser aumentadas para suprir a demanda adicional da mãe e do feto em crescimento. Suprir estas demandas dá segurança à gravidez, à saúde da mãe durante e após a gravidez e à saúde da criança ao nascer.

Durante a gravidez, a demanda energética total é de aproximadamente 80.000 calorias. Então, o aumento de consumo calórico durante a gravidez deve ser uma média de 300 calorias/dia para aquelas grávidas com peso normal no início da gestação.

Ou seja, é muito importante manter um aumento de peso adequado durante a gestação, incrementando em 20% a ingestão de proteínas e 50% de cálcio, dobrando também a ingestão de ácido fólico e ferro.

Conforme na tabela acima, o número total de quilos ganhos na gravidez varia de pessoa para pessoa, mas o esperado para a maioria das mulheres sadias é de aproximadamente 11 a 13 kg. Entretanto, o ganho real de peso deve começar no segundo trimestre da gestação, quando o aumento no consumo de proteínas e cálcio deve vir principalmente de laticínios e carnes leves (aves de criação orgânica e peixes).

O aumento de ácido fólico e do ferro normalmente é suplementado por complementos vitamínicos que também contêm zinco, cobre, cálcio e vitaminas B6, C e D. Esses suplementos são iniciados logo na primeira visita pré-natal ao médico. Mulheres vegetarianas devem suplementar maior quantidade de vitaminas D e B12.

Os primeiros 3 meses de gravidez

O desenvolvimento do feto passa a ser influenciado principalmente a partir do 17º dia após a concepção. Mas como a maioria das mulheres não sabe que está grávida neste período, o ideal é que a dieta seja adequada sempre, estando a mulher grávida ou não. 
Nas primeiras dez semanas o aumento de peso é pequeno, basicamente produzido pelo aumento do útero e volume do sangue da mãe. Nessa ocasião o feto pesa aproximadamente 5 gramas, igual a um morango.
Alimentando-se corretamente a mãe aumentará um total de 1 a 2 kilos no fim do primeiro trimestre e sua barriga ainda será muito discreta.

Ao final destes primeiros 3 meses o embrião que era do tamanho de um grão de arroz terá cerca de dez centímetros e pesará cerca de 5 gramas. O mais importante dessa fase é que o bebê já tem todos os órgãos essenciais formados e seu coraçãozinho já pode ser ouvido.

O segundo trimestre da gravidez

A partir da 13ª semana a gestante começa a engordar cerca de 450 gramas/semana, até completar o final da gestação.
No quarto mês já dá para saber o sexo do bebê e é quando se dá início à fase social da gravidez, quando já não dá mais para a barriga da futura mamãe ser confundida com gordura e as pessoas já interagem com a mulher como uma grávida. Todos os órgãos do bebê já estão formados e a natureza agora está totalmente voltada para o seu amadurecimento e crescimento. 
Portanto, são necessários cuidados EXTRAS com a alimentação que deve incluir altas doses de cálcio, ferro, alimentos frescos, crus e integrais (fibras), assim como complementos vitamínicos receitados pelo médico.

As consultas pré-natais prosseguem como desde o início da gestação. A grande novidade desta fase fica por conta do ultra-som por meio do qual o médico poderá dizer qual o sexo do bebê. 

É hora também de começar a colocar bastante atenção nos exercícios corporais e respiratórios que vão ser bastante úteis na hora do parto. Um médico ou um especialista em educação física poderão dar as dicas a esse respeito.

No mais, a mãe tem que procurar manter o equilíbrio emocional, as consultas em dia e os cuidados com o ganho de peso. Essas medidas ajudam a garantir um parto tranqüilo e o nascimento de um bebê saudável.

Os últimos 3 meses de gravidez – a contagem regressiva!

Para quando é? É menino ou menina? O bebê se mexe muito? Muito enjôo? Consegue dormir bem? 
A posição para dormir começa a incomodar bastante.
O cuidado passa a ser redobrado com as emoções fortes, esforço físico, alimentação e com a saúde em geral.

É mais que chegada a hora da mamãe conversar com o bebê. Ele já escuta a voz da mãe e, ao nascer, a identificação entre eles será imediata. Nada mais natural, uma vez que passaram nove meses unidos e integrados. O papel de grávida, que foi desempenhado por nove meses, em algumas horas vai ser transferido para o de mãe, que vai durar por longos anos. O show da vida não pode parar.

Durante a amamentação

É comum ouvir das mulheres que estão amamentando que a fome aumenta e existe uma "crença" de que, como o gasto calórico aumenta nesse período, pode-se ingerir muitas calorias e não engordar. Essa informação é incorreta, pois a amamentação consome, em média, 500 calorias a mais por dia, o que corresponde a apenas 100 gramas de chocolate. Portanto, enquanto estiver amamentando, a mãe deve prosseguir com os cuidados com a alimentação que, repetindo, deve favorecer os alimentos frescos, crus e integrais."


13 Comentário(s)
Comentário(s)

13 comentários:

  1. Ótimas dicas para as futuras mamães, se cuida na gravidez é essencial!


    Bjss

    ~ Blog: Vida de Noiva
    ~ Produtos de Casamento/Noivado/Chás: Veja Aqui

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Bruh. Estou querendo engravidar este ano e estou lendo muita coisa para me preparar. rsrsrsrsrsrs... Serei mãe de primeira viagem, e estou adquirindo noções pesquisando e lendo muito!!! :-)
      Beijinhos!!!

      Excluir
  2. Copiar e colar até minha vó trissentenária faz.. ¬¬
    SEM CRIATIVIDADE.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito interessante seu comentário...

      1.º) O blog é meu, e posto o que e como eu quiser;

      2.º) Todo o conteúdo escrito por mim, ou no CTRL+C e CTRL+V é lido e relido por mim antes que eu poste aqui, para corrigir eventuais erros de português e, quando eu tenho tempo modifico os copiados (hoje não foi possível, uma vez que não sou desocupada: tenho casa e marido para cuidar, sou professora e hoje estive em planejamento à tarde, e estarei em aula, à noite);

      3.º) Tanta coragem em comentar anônimo, não é? Sinceramente, sem comentários...

      4.º) Não permito este tipo de comentário, mas deixarei ele aqui, pois quem sabe, você possa vir e ler a resposta?

      5.º) Obrigada e fique com Deus!

      Excluir
  3. Toda futura mamãe precisa ter os cuidados para ter uma gravidez tranquila, ótimas dicas, Deusa fique com Deus beijos.
    Links:

    Estrela da Manhã

    Lucimar Virtual

    Divulgue seu blog no face

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Lucimar... Os artigos que estou lendo estão me ajudando a ter alguma noção sobre o assunto gravidez. :-)
      Muito obrigada, viu? Xero!!!

      Excluir
  4. Oi Lu, tudo bom Linda? Me deu saudades e vim te ve. Aiiiii gravidez. Tenho Dois. So Em pensar Em baby, da vontade de ter mais. Super post. Otimos dicas. E com certeza Vai ajudar mtas mamaes e futuras Tbm. Beijo a no coracao.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hehehehe... Eu só tenho meu "baby" maridão (kkkkkkk...) e 3 "babies" de 4 patas (2 gatinhos e 1 cãozinho). :-)
      Estou me preparando lendo, lendo, lendo...
      Adoro quando vens aqui, viu? Beijinhos, Linda!!!

      Excluir
  5. Minha amiga está grávida (adolescente ainda), acho que ela vai gostar bastante desse post (:

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. :-) Eu achei bem informativo, pois ainda não sou mãe e estou me preparando. rsrsrsrsrsrsrs... Espero que ela goste mesmo. Beijinhos, Jackie!

      Excluir
  6. Adorei as dicas.

    ontendency.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Oi Luh, apesar de não ter idade para ter filhos adoro esse tipo de matéria sobre gestação e afins! Me lembro da época que era obcecada por blogs de mães de primeira viagem! HAHAHA
    Adorei :)

    Beijo :*
    http://www.blogdaelis.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. rsrsrsrs... Você sem idade... eu passando da idade!!! kkkkkkk...
      Mas enfim... Eu quero muitoooo engravidar, sabe? Porém, vai depender de meu marido e de mim, se pudermos fazer nossa casinha este ano. Rezo para que possamos! :-)
      Estou achando muito interessante poder achar tanta coisa inerente ao assunto, por isso achei este texto pertinente e os outros que já postei também.
      Só não sou obcecada! hehehehehehehe...
      Beijinhos, Linda!!!

      Excluir

• Os coments são moderados para eu responder todos.
• Comente sobre a postagem.
• Sua opinião, sugestão, dica e alerta são bem-vindos!