As férias de julho: quintal ou quarto?



As férias de julho chegaram e a sessão nostalgia tomou conta de todo o meu ser, principalmente porque eu continuo trabalhando firme e forte. Levantando de manhã, fazendo almoço para deixar para a família, saindo correndo....ufa. Vou parar de contar porque já estou ficando cansada.

Comecei a me lembrar do que eu fazia quando era adolescente nesta época. Parece que os meus pensamentos atraíram imagens daquele tempo tão bom.




Eu me vi em Santa Rosa de Viterbo, cidade do interior de São Paulo, onde eu nasci e morei até os meus 20 anos. Lá eu subia em mangueiras, trepava nas jabuticabeiras e me matava de brincar nos balanços. Pés e mãos ficavam uma sujeira de dar dó.

É claro que eu não era a criança mais esperta do mundo. Não era uma esportista nata como muitas amigas. Eu era do tipo tranquila, que adorava assistir sessão da tarde, comer bolinho de chuva deitada no sofá lendo um bom livro. Não sou gordinha à toa não é gente! Sabe que filme passava naquela época? Não vale rir. Cansei de ver Elvis Presley. Olha a foto ai embaixo meninas.




Férias modernas

Tudo isto é para falar para vocês que a minha adolescente de 16 anos está de férias. Ela curte o tempo livre vendo filmes e séries. O celular do lado, de preferência com um bom bate papo no whatsapp. O computador também está ligado no Facebook ou no Netflix. São os jovens que conseguem fazer 1001 tarefas ao mesmo tempo. Onde? No quarto e na cama. São os "enquartelados". Será que esta palavra existe? Ouvi de um pai em uma reunião da escola e adorei o termo. Vivo usando.




As meninas de hoje não sujam mais os pés na terra, não descem mais a rua no carrinho de rolimã e arrancam uma parte do dedo, não arrumam cozinha, não varrem a casa (poeira dá alergia), mas com certeza minha filha tem uma alimentação mais regrada do que a minha porque ela não é nem um pouco gordinha, tem pele e cabelos maravilhosos. Não sou coruja, mas ela é uma gatinha linda.

Enfim, as diferenças entre as gerações. Uma criada ao ar livre e a outra a sombra do apartamento, trancada a sete chaves e tendo como amigos os equipamentos eletrônicos.




Sei que é férias, você não quer perder tempo pensando, mas mesmo assim vou perguntar: culpa de quem? Será que é minha? Da sociedade? Da falta de segurança? Não sei. Acho que é a somatória de um conjunto de fatores. Mães que trabalham fora e que não têm tempo de ensinar os filhos que existe vida do lado de fora da casa, a violência e o medo que tomaram conta da sociedade, o estresse da vida moderna ... E você o que acha ? Tem como melhorar esta situação? Dê sua opinião.

Bom final de semana. Paz e beijos!


Sigam-me:


Texto protegido pela Lei nº 9610/98 - Direitos autorais.

0 Comentário(s)
Comentário(s)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

• Os coments são moderados para eu responder todos.
• Comente sobre a postagem.
• Sua opinião, sugestão, dica e alerta são bem-vindos!